O Lançamento do Foguete do Vocacional
Eduardo Gonsales De Ávila
Médico -  GV Embaixador Macedo Soares Barretos

 

 

O Lançamento do Foguete do Vocacional
Eduardo Gonsales De Ávila

Na época do Ginásio Vocacional, nos idos de 60, vivenciamos muitas revoluções, era a época da revolução sexual com a pílula anticoncepcional, a conquista do espaço com a corrida do Homem á Lua, desencadeando a Guerra-Fria com os confrontos russos x americanos, com profunda ideologização dos hábitos e costumes, era época dos cabeludos com calça Lee boca de sino, auge da banda The Beatles, mais famosos do que Jesus Cristo, era a época da Guerra do Vietnã, com conflitos para preservação da Paz, com o movimento pela Paz, com o movimento Hippie, com rusgas étnicas e canções de protestos.

Com a instituição do sistema Vocacional, concebido por Maria Nilde Mascellani tínhamos uma revolução na educação. Com um sistema em que os alunos trabalhavam uma plataforma com a interdisciplinaridade de varias áreas e com a participação de equipes de trabalho e estudos do meio.

Os fatos do mundo refletiam diretamente nas salas de aulas, pois tudo que ocorria era discutido por todos. Assim é que a ida do homem á lua ocupava nosso imaginário.
Nossa equipe decidiu que também lançaríamos um foguete.

Todo o projeto foi acompanhado por todas as disciplinas, seguindo o conceito de interdisciplinaridade. As várias disciplinas contribuíram com o projeto com o que elas possuíam em seus setores. Na área de biologia estudávamos os combustíveis de origem fosséis, seu modo de extração e refino, com a formação de vários tipos que poderiam inclusive ser utilizados como propelentes de naves espaciais. Em Artes Industriais confeccionamos a nave espacial. Na aula de Inglês líamos narrativas da Nasa e textos técnicos.

Recordo que foi muito difícil conseguir o propelente, até que o Florêncio veio com a solução, combustível de aviação – querosene. Interessante que Florêncio sempre vocacionado para os assuntos de aeronáutica acabou vindo a se tornar piloto profissional de aviões, tendo terminado a vida de forma trágica num acidente com sua aeronave sinistrada no Pará. Creio que junto a Deus ele hoje ambiciona vôos mais altos, como altas eram nossas idéias e imaginação na época do Ginásio Vocacional.

Chegado o Grande Dia a nave, uma beleza de artefato, inclusive com um sistema simples de pára-quedas para o resgate da mesma. Numerosa aparelhagem foi disposta ao redor da base, que depois de muita pesquisa foi eleito o cimentado da caixa-dágua, localizada aos fundos do imponente prédio.

A garotada acompanhava atento a contagem regressiva, munidos de binóculos para acompanhar a trajetória, uma luneta estrategicamente posicionada tinha a finalidade de colher o ângulo de inclinação do projétil, para que os dados fossem trabalhados na área de matemática,(aquelas coisas de senos, tangentes e co-senos) para que mensurássemos o sucesso da empreitada.

O sucesso foi retumbante, com um pequeno detonador uma fagulha incandesceu  o propelente e a pequena nave iniciou sua jornada ascendente e numa curva de parábola passou a descrever sua jornada descendente já com os pára-quedas abertos, e recuperada intacta para gloria dos vocacianos.

Desta forma foi que Lançando um foguete, conquistamos a Lua e o Mundo, para  Glória de um sistema de ensino que”sete vidas eu tivesse, sete vidas eu daria” para vê-lo restaurado.
Eduardo Gonsales De Ávila

03-03-2010

Título do Review

User Rating:

0 ( 14 Votes )