Meditando à Sagrada Educação
Maria Antonieta Lima Amato –Toni
Psicóloga – Turma de 65 -GEVOA

Meditando a Sagrada Educação
Maria Antonieta Araujo Lima Amato

Seguindo o caminho das “coincidências significativas”, também chamadas sincronicidades, quero contar pra vocês sobre um acontecimento que envolve a todos nós que passamos pelo Vocacional.

Dia 11 de fevereiro, apresentei na Unipaz, meu trabalho de conclusão da Formação Holística e Transdisciplinaridade em Saúde, Educação e Liderança.  Esse curso também é uma pós-graduação lato sensu e minha monografia, ainda em andamento, também vai abordar o tema Educação. O que apresentei foi o projeto “Meditando a Sagrada Educação: sua Alma e Coração”, que foi criado e concretizado sincronicamente ao “encontro marcante” do dia 11/6/2005.

Como nada acontece por acaso, e acho que nós nada mais fazemos do que pescar o que está no ar (a Clarice Lispector diz que as palavras são como anzóis), é evidente o quanto a grande aldeia está necessitada de relembrar valores e práticas que estão no DNA desde sempre. Então, nós que vivemos essa experiência tão significativa, estamos fazendo o correto quando passamos aos outros aquilo que foi pra nós tão valioso. Isso inclui todas as nossas histórias, e vai muito além delas. Foi isso que aconteceu na exposição do projeto que , basicamente, pretende trabalhar com educadores e pais (mas aberto a quem se interesse) um olhar para sua trajetória de vida que possa contemplar e qualificar sua experiência como ser humano, ativando a memória da vivência de cooperação entre os seres, do homem como parte da natureza, incluindo toda a diversidade que representa cada indivíduo e, ao mesmo tempo, tomando essa diversidade com respeito e como o elemento de união entre todos.

Bem, procurando manter o entusiasmo no equilíbrio, vou seguindo.
Minha apresentação aconteceu no sábado à tarde. Desde a sexta-feira à noite, a apresentação dos trabalhos foi muito intensa. Em cada pessoa podíamos perceber sua marca pessoal e autonomia e, ao mesmo tempo, percebíamos a conexão que fazia de todos nós o mesmo. Uma das apresentações trouxe a imagem de uma constelação, que representa bem o que aconteceu.
Antes do intervalo do almoço, os organizadores do curso trouxeram uma surpresa. Sabem o que? A apresentação de “Gandhi” feita pelo nosso colega João Signorelli. E de lá, a fonte que nos une jorrou generosamente, incluindo a nós todos (presentes ou não) e indo muito além. No final, João fez um agradecimento ao Vocacional e muitas pessoas vieram falar conosco a respeito, algumas porque tinham tido algum contato e outras porque queriam saber que escola era aquela.
Gente, foi demais!!! Aquilo tinha uma força maravilhosa!

Entre  muitas coisas, na minha apresentação, relembrei o encontro que teve a nossa turma de 65, com o Pierre Weil (mentor e reitor da Unipaz) , estudo do meio de 67 em Minas, quando ele fez um psicodrama e palestra sobre orientação vocacional, no auge dos nossos 15 anos!

E… continuando, abro no início da semana seguinte, o e-mail do Shigueo, sugerindo espaços pra conversar Educação, e as propostas do Polojo, e os e-mails do Luigi, e o grêmio,  e o livro da Ângela, ETC… ETC… E TAL!!!!!!!
“As coisas estão no mundo, só que eu preciso aprender”,  cantado pelo Paulinho da Viola. Parece que as boas coisas estão muito emergentes no mundo, mesmo que muitas vezes, queiram nos fazer crer que não. Me sinto uma aprendiz de escutar e seguir os sinais que nos levam a um bom lugar. A companhia de todos e os laços de fraternidade são tudo!  “Imagine all the people…” , acho que está real, não?

Abraço a todos,
Toní

Título do Review

User Rating:

0 ( 9 Votes )